Matemática Empresarial

slider

Guia do Estudante: mais cursos estrelados
A PUC-SP aumentou o número de cursos estrelados na premiação Melhores Universidades,...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/guia-do-estudante-mais-cursos-estrelados
http://cogeae.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/guia-do-estudante-estrelas-noticias.jpg
De 6/3 a 7/4, estão abertas as inscrições para novos projetos do PIBIC-CNPq, PIBIC-CEPE...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/programa-de-bolsas-de-iniciacao-cientifica
http://cogeae.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/pibic-cnpq-template-carrossel-noticias.jpg
Em abril, ocorre mais uma edição da Feira de Doação e Troca de Livros da PUC-SP,...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/feira-de-livros-doacao-e-troca
http://cogeae.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/carrossel-pac-editavel-feira2017.jpg
Apresentação 

O curso de bacharelado em Matemática (linha de formação em Matemática Empresarial), da PUC-SP é um curso novo na Instituição e também na cidade de São Paulo. É uma graduação com característica multidisciplinar, voltada para a formação de profissionais com conhecimentos matemáticos sólidos e capacidade de interferir na evolução das propostas empresariais. O corpo docente do curso possui experiência qualificada em suas áreas de atuação. As atividades curriculares favorecem a formação especializada, com atenção para os grandes problemas nacionais no que tange à sustentabilidade e à ética. O curso tem disciplinas oferecidas à distância, atendendo às exigências legais e tornando a distribuição das disciplinas favoráveis ao uso do tempo pelo estudante.

Formas de Ingresso 

Vestibular Verão 2017
clique para acessar

Avaliação do aluno 

Partindo do princípio de que o curso foi concebido com o intuito de formar um profissional da área de Matemática Empresarial, adaptável aos constantes e cada vez mais frequentes avanços tecnológicos, o sistema de avaliação do processo ensino e aprendizagem deve refletir essa realidade. Para avaliar a base sólida de conhecimentos adquiridos nas disciplinas fundamentais e nas de formação geral e específica, são aplicadas provas escritas e práticas, bem como atividades, buscando incentivar tanto a criatividade do aluno como seu raciocínio lógico e crítico na resolução de problemas.

No curso de bacharelado em Matemática (linha de formação em Matemática Empresarial) da PUC-SP, foi estabelecido que a avaliação deverá ocorrer por dois mecanismos diferentes, de maneira a se obter um julgamento abrangente, com um resultado mais real daquilo que foi efetivamente absorvido pelo(a) aluno(a). Os mecanismos em questão, tanto para as disciplinas presenciais como para as disciplinas a distância, são provas (escritas e/ou práticas) e atividades como seminários, projetos, pesquisas, listas de exercícios, trabalhos individuais ou em grupos ou outras que o professor considerar adequadas.

O critério de avaliação para as disciplinas levará em consideração uma nota A de atividades e as notas das provas P1 e P2, agendadas pelo professor da disciplina.

O critério adotado para o cálculo da Média Final (MF) será:

MF = 0,3 A + 0,2 P 1 + 0,5 P 2

sendo, para cada disciplina:

P1: – Prova marcada pelo professor da disciplina na metade do semestre.
P2: – Prova marcada pelo professor da disciplina, no final do semestre.
A: – Nota referente às atividades realizadas no semestre.

Nas disciplinas com laboratórios, além das notas dos relatórios/projetos (normalmente em grupo), pelo menos uma nota individual deverá ser atribuída ao aluno como, por exemplo, uma prova prática, contabilizada dentro das atividades.

A aprovação do aluno, em cada uma das disciplinas e/ou atividades curriculares, inclui a frequência mínima obrigatória de 75% nas atividades programadas no curso e notas iguais ou superiores a 5,0 (cinco).

A aprovação do aluno, em cada uma das disciplinas e/ou atividades curriculares a distância inclui a realização de, pelo menos, 75% das atividades propostas, bem como da realização das provas sempre presenciais, individuais e obrigatórias, conforme o critério adotado no curso.

Nas atividades realizadas a distância, no próprio ambiente virtual do curso (Moodle), existem ferramentas que permitem a gestão das atividades dos alunos, gerando relatórios de acesso dos alunos ao sistema, relatórios de notas e de participação em atividades. Os sistemas de gestão permitem que o professor possa acompanhar a trajetória do aluno ao longo da atividade.

Ao realizar as atividades a distância, o aluno pode participar de forma síncrona ou assíncrona, dependendo da atividade proposta pelo professor.

O aluno poderá realizar uma Prova Substitutiva, que substituirá a nota P1 ou P2 no sentido de maximizar a média final, quando for o caso. A prova PS é uma prova aberta, ou seja, mesmo o aluno que tenha sido aprovado poderá realizá-la, sem prejuízo de nota.

TCC 

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) obrigatório é uma das exigências para conclusão do curso.

O TCC resulta de um estudo que pode incluir pesquisas bibliográficas, documentais, experimentais e deve ser apresentado em forma de monografia e, dependendo do caso, de um produto (que pode ser, por exemplo, um software), sempre com apresentação pública. Para tanto, ao longo dos dois últimos períodos do curso, os alunos deverão elaborar um projeto de pesquisa com temáticas e objetivos concernentes ao escopo do currículo e solicitar a indicação de um professor do Departamento de Matemática para, sob sua orientação e responsabilidade, desenvolver seu TCC.

Nos dois últimos semestres do curso estão alocadas disciplinas para o Trabalho de Conclusão de Curso 1 e 2, totalizando 60 horas, nas quais estão previstos estudos de Introdução à Metodologia Científica, como subsídio para a elaboração do projeto de TCC e seu desenvolvimento.

Os professores do curso poderão organizar projetos temáticos de forma a que grupos de alunos possam desenvolver seu TCC sobre um mesmo assunto, mas com objetivos diferenciados e produto final individual. O orientador do TCC deverá ser um professor da PUC-SP, com título mínimo de mestre. As atividades de orientação serão realizadas com 10 alunos por orientador. 

Atividades de formação 

As atividades complementares do curso têm como objetivo proporcionar aos alunos a possibilidade de aprofundamento temático e interdisciplinar, com vistas à ampliação de conhecimento e o desenvolvimento de habilidades, de acordo com o perfil profissional desejado.

O projeto pedagógico do curso exige a realização de, no mínimo, 30 horas de atividades complementares. Para integralizar essas 30 horas, será necessário que o aluno cumpra 100 pontos em diferentes tipos de atividades: a pontuação a ser atribuída para cada tipo de atividade, bem como a pontuação máxima permitida, em cada semestre e ao longo de todo o curso, estão estabelecidas na coluna Pontos atribuídos sem/totais do Quadro 1.

A análise dessas atividades será de responsabilidade da coordenação do curso, que também fará a comutação das atividades realizadas em pontos, controlando o cumprimento, pelo aluno, da carga horária referente às Atividades Complementares. O(a)s aluno(a)s serão estimulado(a)s a participar de eventos científicos e culturais, palestras, seminários e também a organizar eventos relativos à área de Matemática Empresarial para a comunidade interna e externa. Podem fazer parte deste grupo de atividades: visitas técnicas com elaboração de relatórios supervisionados pelos professores; participação em palestras, minicursos, organizados ou não pela Universidade, e devidamente documentados. O(a)s aluno(a)s do curso de bacharelado em Matemática (linha de formação em Matemática Empresarial) também serão estimulado(a)s a participar de atividades de monitoria e a desenvolver projetos de iniciação científica, tendo em vista a potencialidade dessas atividades para sua formação.

O(a)s aluno(a)s poderão realizar as atividades complementares a partir do 1º período do curso. Cada tipo de atividade deverá ser comprovado por meio de uma documentação específica, conforme estabelece a coluna Forma de Comprovação do Quadro 1.

Os tipos de atividades e respectivas pontuações estão apresentados no quadro a seguir, sendo que o aluno deverá integralizar ao longo do curso, conforme já salientado, pelo menos 100 pontos -  que serão computados em 30 horas, de acordo com a carga horária prevista na matriz curricular para as atividades complementares.

Categorias de atividades

Tipo de Atividade

Forma de Comprovação

Pontos atribuídos

Pontos máximos

Atividades Científicas

Pesquisa

Iniciação científica (por semestre)

Declaração do orientador

15

30

Monitoria (por semestre)

Declaração do professor da disciplina

15

30

Participação em Grupos de Pesquisa dentro ou fora da instituição (por semestre)

Declaração do Coordenador do Grupo

15

30

Apresentação de Pôster em congresso

Certificado de participação em que conste que apresentou pôster

05

10

Apresentação de Trabalho em Semana de Tecnologia da FCET

Certificado de participação com apresentação de trabalho em que conste título

03

12

Participação em
Encontro de Iniciação
Científica

Certificado de participação

03

12

Outras participações em Encontros, Palestras, Seminários

Atestado de presença assinado pelo responsável pelo evento, conforme modelo disponível no site (imprimir antecipadamente)

03

12

Resenha de livros

Resenha impressa

03

12

Participação em projetos desenvolvidos pela Universidade ou pelo Curso

Declaração do Coordenador do projeto

03

12

Outras

A critério da coordenação do Curso

03

12

 

Categorias de atividades

Tipo de Atividade

Forma de Comprovação

Pontos atribuídos

Pontos máximos

Atividades socioculturais

Visitas culturais

Instituições de caráter filantrópico e/ou prestadoras de Serviços Comunitários

Atestado do responsável pela instituição ou relatório

03

06

Instituições de caráter cultural e de lazer

Relatório

03

12

Visitas monitoradas a institutos de pesquisa e tecnologia, empresas, indústrias, feiras, etc.

Atestado do responsável / declaração do professor monitor ou relatório

03

12

Exposições culturais

Relatório

03

12

Apresentações culturais/musicais/teatrais/
Cinema

Relatório

03

12

Outras

A critério da coordenação do curso

03

12

Atividades profissionalizantes

Participação em projetos de intervenção social

Participação em projetos sociais promovidos por empresas ou pela Universidade

 

Atestado do responsável pelo projeto em que conste o número total de horas da atividade

05

10

Outras

 

A critério da coordenação do curso

05

10

Atividades Acadêmicas Extra Classe

Seminários, Encontros, Conferências, Palestras

Cursos extracurriculares (ex: cursos de verão)

Certificado de conclusão do curso em que conste o número de horas

15

30

Cursos de idiomas (por semestre)

Certificado de conclusão do curso em que conste o número de horas

10

40

Assistência a defesas de Teses, Dissertações e Trabalhos de Conclusão de Curso.

Atestado de presença assinado pelo responsável pelo evento, conforme modelo disponível no site em Material de Apoio (imprimir antecipadamente)

03

12

Outras

A critério da coordenação do curso

03

12

 

Categorias de atividades

Tipo de Atividade

Forma de Comprovação

Pontos atribuídos

Pontos máximos

Atividades Diversas

Trabalhos Extra Classe

Trabalho Voluntário

Relatório ou atestado do responsável pela instituição, se for o caso, em que conste o número de horas

03

12

Trabalho em entidades representativas de categorias profissionais

Atestado do responsável pela instituição em que conste número de horas

03

12

Participação na organização de eventos na graduação

Atestado de presença assinado pelo responsável pelo evento, conforme modelo disponível no site em Material de Apoio (imprimir antecipadamente)

03

12

Outras

A critério da coordenação do curso

03

12

 

Estágio curricular 

O estágio insere-se como componente obrigatório do currículo da graduação e auxilia no desenvolvimento das competências e habilidades desejadas para o profissional que o curso pretende formar. Permite articular o estudo teórico e os saberes práticos. Como um processo de transição profissional, procura ligar duas lógicas (educação e trabalho), proporcionando ao estudante a oportunidade de demonstrar conhecimentos e habilidades adquiridos e também desenvolver competências, sob supervisão de um profissional da área.

O estágio deve favorecer a descoberta e ser um processo dinâmico de aprendizagem em diferentes áreas de atuação no campo profissional, dentro de situações reais, de forma que o (a) aluno(a) possa conhecer, compreender e aplicar, na realidade escolhida, a união da teoria com a prática. Seu planejamento e organização serão feitos em etapas com características bem definidas, pela previsão de situações em que os futuros profissionais coloquem em uso os conhecimentos que constituirão, ao mesmo tempo em que possam mobilizar outros, de diferentes naturezas e oriundos de diferentes experiências, em diferentes tempos e espaços curriculares.

Esse contato com a prática profissional, que deve ser vivenciado ao longo de todo o curso de formação, não depende apenas da observação direta. A prática contextualizada pode ser vivenciada ainda por meio de tecnologias de informação – como computador e vídeo –, de narrativas orais e escritas de profissionais da área, de produções dos estudantes, de situações simuladas e estudo de casos. Além disso, as disciplinas devem ser permanentemente trabalhadas tanto na perspectiva da sua aplicação no mundo social e natural, quanto na perspectiva da inserção do futuro profissional no mercado de trabalho. Isso porque as atividades, que caracterizam a atuação coletiva e integrada dos formadores, transcendem o estágio e têm como finalidade promover a articulação das diferentes práticas numa perspectiva interdisciplinar, com ênfase nos procedimentos de observação e reflexão sobre situações contextualizadas, tais como resolução de situações-problema, características do cotidiano profissional. Para fortalecer o elo entre o conhecimento adquirido e sua aplicação, com a maior amplitude possível, o(a) aluno(a) do curso deverá cumprir, pelo menos, 150 horas de estágio obrigatório (in loco) a partir do início do 5º período do curso. Tal estágio deverá ser realizado sob a orientação de profissionais da área de Matemática, em instituições ou empresas reconhecidas, que possam fornecer a possibilidade de contato com experiências práticas, com qualidade nos níveis recomendados.

O plano de estágio será organizado e avaliado conjuntamente pelas instâncias nele envolvidas, com objetivos e tarefas claras, e as duas instituições (Universidade e instituição ou empresa) no qual o estagiário desenvolverá as atividades deverão assumir responsabilidades e se auxiliarem mutuamente, o que pressupõe relações formais entre instituições ou empresas e a academia.

Reflexões a respeito do planejamento e da execução do plano de estágio serão realizadas em várias disciplinas do curso, especialmente em Gestão de Projetos, Projetos Empresariais 1 e 2, alocadas, respectivamente, no primeiro, quarto e sexto períodos.

Além disso, o estágio será supervisionado por meio das quatro disciplinas denominadas Estágio Supervisionado em Matemática Empresarial, constantes da matriz curricular do curso, cada uma delas com 15 horas relógio de carga horária, (totalizando, portanto, 60 horas relógio). Tais disciplinas serão de responsabilidade de um professor do Departamento de Matemática. Além do professor supervisor, as atividades de estágio terão o acompanhamento do representante da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia na Coordenadoria Geral de Estágio (CGE) da Universidade.

O(a) aluno(a) será estimulado(a) a cumprir uma carga horária maior de estágio, visando ao seu aprimoramento profissional e melhor preparo para o mercado de trabalho, em estágios não obrigatórios.

O (a) aluno(a) poderá desenvolver estágio não obrigatório, facultativo, a partir do segundo período, desde que o coordenador do curso considere o plano de atividades adequado ao desenvolvimento de conhecimentos e habilidades na área.

Grade Curricular 
Mensalidades 

A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.

O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.

Valor da mensalidade
O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e os valores de cada curso são calculados com base nas atividades pedagógicas previstas.

Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso.

Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.

Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.

Duração 

Mínima:
Noturno: 8 semestres ou 4 anos

Máxima:
Noturno: 10 semestres ou 5 anos

Avaliação do curso 

A implantação da proposta do Projeto Pedagógico do curso será acompanhada pelo seu Núcleo Docente Estruturante. Esta comissão, liderada pelo coordenador do curso, terá a obrigação de acompanhar a implantação das disciplinas.

Os resulta dos apresentados pela comissão servirão para orientar a elaboração dos conteúdos programáticos das disciplinas subsequentes. A implantação acontecerá a partir do primeiro semestre de 2017 e será realizada semestre a semestre.

A avaliação do Projeto, como um todo, será orientada pelos trabalhos da Comissão Própria de Avaliação da PUC-SP, denominada CPA-PUC-SP. A Universidade, em 2004, instituiu a comissão com as atribuições de conduzir os processos de avaliação internos da instituição, sistematizando e prestando as informações solicitadas pelo INEP, nos termos da lei. Os componentes da Comissão, são representantes dos três segmentos da comunidade universitária (alunos, professores e funcionários), assim como da Sociedade Civil. As atividades serão desenvolvidas de acordo com as recentes Diretrizes da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) para a Auto Avaliação das Instituições e com as “Orientações Gerais para o Roteiro da Auto Avaliação das Instituições”, promovendo a formação e constante atualização pedagógica e tecnológica do corpo docente, mantendo-o sempre atento às novas possibilidades de aprimoramento do curso.

Competência e habilidades 

Ao bacharel em Matemática (linha de formação em Matemática Empresarial), formado pela PUC-SP, estão associadas as seguintes competências e habilidades:

  • Enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade, do mercado de trabalho e das condições de exercício profissional;
  • Possuir raciocínio lógico, postura crítica, capacidade de modelar problemas, de realizar análises estatísticas e de simular e otimizar processos;
  • Compreender e saber tratar com a diversidade;
  • Aprender continuamente e utilizar novas ideias e tecnologias;
  • Colaborar com outros profissionais e trabalhar em equipe;
  • Ser criativo e ter curiosidade para buscar novos conhecimentos;
  • Perceber a contribuição da Matemática à formação do indivíduo para a construção e o exercício da cidadania;
  • Expressar-se com clareza, precisão e objetividade, seja na língua materna, seja na linguagem matemática;
  • Compreender e utilizar conhecimentos matemáticos e estabelecer relações entre a Matemática e outras áreas do conhecimento;
  • Analisar e interpretar dados, textos matemáticos, elaborar modelos e resolver problemas, integrando os vários campos de atuação;
  • Aplicar conhecimentos vários para modelar problemas reais utilizando a Matemática;
  • Interagir com profissionais de diversas formações acadêmicas, da indústria, de empresas, de instituições;
  • Desenvolver softwares;
  • Otimizar a utilização de recursos, analisando e proje tando serviços e produtos;
  • Atuar na área acadêmica, em centros de pesquisa, empresas e indústrias, no mercado financeiro, no desenvolvimento de produtos tecnológicos e de tecnologias, na prestação de consultorias, ou ainda, empreender um negócio próprio.
Áreas de atuação 

O bacharel em matemática empresarial pode atuar em áreas que requisitem um profissional com sólidos conhecimentos matemáticos e computacional voltados para o setor de empresas, indústrias, produção. O profissional tem condições de contribuir para o estabelecimento de prazos de garantia e logística, resolvendo demandas do mercado por meio de modelos matemáticos - cuja elaboração pressupõe conhecimentos sólidos na área. Ele também pode atuar em instituições financeiras e institutos de pesquisa para realizarem, dentre outras tarefas, o tratamento estatístico de dados; em empresas de consultoria; em empresas de seguros, nas quais são mobilizados para, dentre outros, auxiliar na determinação de prazos de carência; e em empresas de manufatura.

Vagas turnos e campi 

30 vagas
Turno:Noturno
Campus Consolação

Clique aqui para mais informações

Histórico 

A proposta de criação do curso de bacharelado em Matemática (linha de formação em Matemática Empresarial), oferece possibilidade de formação para um público interessado em estudar Matemática e que deseja atuar em áreas de aplicação em empresas e indústrias, na produção, estabelecimento de prazos de garantia e logística. O profissional formado estará apto a resolver demandas do mercado por meio de modelos matemáticos, cuja elaboração pressupõe conhecimentos sólidos na área, além de instituições financeiras ou institutos de pesquisa. Este curso está voltado para formar profissionais capazes de realizar, dentre outras tarefas, o tratamento estatístico de dados em empresas de consultoria ou seguro, nas quais serão mobilizados para, dentre outros, auxiliar na determinação de prazos de carência, e em empresas de manufatura.

Essa formação tem se mostrado uma tendência em países desenvolvidos, nos quais empresas admitem matemáticos dentre seus executivos. Fato esse que tem se iniciado também no Brasil.

No Brasil, os cursos de Matemática em áreas de aplicação têm sido oferecidos por algumas instituições, com diferentes ênfases ou formações. Na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), o curso é oferecido como Matemática Empresarial. Na UFRJ, bacharelado em Matemática Aplicada para Negócios.

Na cidade de São Paulo, o curso de bacharelado em Matemática (linha de formação em Matemática Empresarial). A Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto, oferece uma graduação similar, denominada bacharelado em Matemática de Negócios.

Nos estudos realizados, verificamos que, no país, bacharelados em Matemática Aplicada em diversas habilitações. Passaram a avaliar a possibilidade de investir nessa direção, percebendo que a PUC-SP tem todas as condições de sustentar um curso dessa natureza porque possui expertise nas diversas disciplinas relacionadas a essa aplicação, que já vem sendo abarcada nos cursos de Ciências da Computação, Administração, Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Filosofia, Ciências Sociais e Teologia.

O Departamento de Matemática é um dos primeiros Departamentos do campus Consolação. Seus docentes foram os responsáveis pela criação do curso de Ciências da Computação e do curso de Matemática Licenciatura (EaD), que possibilitou o credenciamento da Universidade nessa modalidade de ensino e dos cursos de pós-graduação lato sensu e stricto sensu em Educação Matemática. O novo curso valoriza a concepção educacional de interrelação de conhecimentos.

Objetivos 

Objetivos gerais

  • Formar multidisciplinarmente os graduandos a partir de um sólido embasamento em relação aos conhecimentos matemáticos.
  • Formar profissionais com destacada capacidade analítica e competência para aplicar a Matemática como instrumento potente para a solução de problemas, possibilitando aumento da eficiência organizacional e apoio ao processo decisório e estratégico operacional.


Objetivos específicos

  • Possibilitar ao graduando, além de uma sólida formação matemática, a construção de conhecimentos relativos à aplicação da Matemática em diferentes áreas;
  • Formar um profissional preparado para trabalhar com bases de dados e sistemas de informação e para modular sistemas para as diferentes aplicações;
  • Oferecer ao graduando conhecimentos a respeito de gestão empresarial, de como gerenciar projetos e aplicar os conteúdos teóricos estudados na solução de problemas, em análises preditivas e em tomadas de decisões.
Grau 
Bacharelado
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Campus Consolação - Marquês de Paranaguá
Modalidade 
Presencial
Coordenação 

 

 

 

Situação 
Matrículas encerradas
ID Curso Totvs 
971
ID Filial Totvs 
2
Última atualização: 26/4/2017

Conecte-se à PUC-SP