Sistemas de Informação

Apresentação 

 

O curso de bacharelado em Sistemas de Informação da PUC-SP forma profissionais, tradicionalmente chamados de “Analistas de Sistemas”, para as necessidades atuais e futuras de Tecnologia da Informação das organizações. 
Nossa graduação utiliza a metodologia “Aprendizagem Baseada em Projetos” (PBL), apoiada pelas técnicas de gerenciamento de projetos do Project Managemente Institute (PMI), que inclui o gerenciamento de escopo, tempo, custos, integração, qualidade, recursos humanos, comunicação, riscos, aquisições e partes interessadas. 

O aluno desenvolve a cada semestre, junto com sua equipe, um projeto que atende a uma necessidade específica de mercado:

  • Programação Orientada a Objetos;
  • Programação Web e para dispositivos móveis;
  • Criação de Startups;
  • Implantação de Sistemas Integrados de Gestão (ERPs), incluindo a gestão de mudanças;
  • Inteligência de negócios (BI, CRM, BigData, Analytics, simulação, estatística etc.);
  • Projeto e desenvolvimento de um sistema corporativo (Trabalho de Conclusão de Curso, em 2 semestres).

O curso agrega, também, competências comportamentais (postura profissional, ética, comunicação, empreendedorismo, trabalho em equipe, gestão de projetos etc.).

Formas de Ingresso 
  • Processo seletivo por meio de exame vestibular aberto a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente;
  • Processo seletivo específico para portadores de diploma de graduação, sob condição de existência de vagas abertas pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Matrícula por transferência sob a condição de existência de vaga, obedecendo ao calendário da Universidade ;
  • Prouni, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Reopção de curso, aberta pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade.
Gestão 

As Faculdades são compostas por: Departamentos, Cursos de Graduação, Programas de  Pós-Graduação stricto sensu e lato sensu, Cursos e Atividades de Educação Continuada, Unidades Suplementares e Núcleos Extensionistas.

A Coordenação do curso é definida através de eleição entre os docentes candidatos que são pertencentes à carreira do magistério. A Coordenação eleita por dois anos de gestão, terá uma carga horária equivalente a 20 horas no qual serão dedicadas para as atividades didáticos/pedagógicos de coordenação, de atendimento aos alunos e professores e participação de comissões em reuniões com outras instâncias da universidade.

As atualizações e alterações realizadas no PPC (Projeto Pedagógico do Curso) são organizadas, acompanhadas e presididas pela Coordenação do curso, juntamente com o NDE (Núcleo Docente Estruturante) e o Colegiado do Curso de Sistemas de Informação.

Corpo Docente 

Carlos Hideo Arima  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 21 anos e 5 meses.

Tempo de Trabalho: 21 anos e 5 meses.

Disciplinas: Auditoria e segurança de sistemas
Controles internos e governança corporativa

Acessar Curriculo

Diogo Cortiz da Silva  

Titulação:

Anos de Casa: 7 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 6 anos e 7 meses.

Disciplinas: Sistemas de apoio a decisão

Acessar Curriculo

Eli Banks Liberato da Costa  

Titulação:

Anos de Casa: 23 anos e 6 meses.

Tempo de Trabalho: 23 anos e 6 meses.

Disciplinas: Trabalho de conclusão de curso ii

Acessar Curriculo

Lawrence Chung Koo  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 13 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 13 anos e 4 meses.

Disciplinas: Gestão de operações e logística

Acessar Curriculo

Mauricio Nacib Pontuschka  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 23 anos e 5 meses.

Tempo de Trabalho: 23 anos e 5 meses.

Disciplinas: Trabalho de conclusão de curso ii

Acessar Curriculo

Wladimir Roberto Esposito  

Titulação:

Anos de Casa: 26 anos e 5 meses.

Tempo de Trabalho: 26 anos e 5 meses.

Disciplinas: Engenharia de software-tecnologia
Optativa - arquitetura da camada de negócios com java enterprise edition (javaee)
Sistemas distribuídos

Acessar Curriculo

Laboratórios 

Laboratórios de Informática: O curso conta com uma estrutura de laboratórios de informática administrada pela Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da PUC-SP. Com um total de 31 laboratórios de informática, divididos entre os campi Marques de Paranaguá (9), Monte Alegre (19) , Santana (2)  e Sorocaba (1), todos conectados em rede à uma velocidade de 100Mps.

Esses mais de 1000 computadores integram os cerca de 2300 computadores da grande rede PUCSPNet, totalmente conectada à Internet, onde utilizamos um link principal de acesso com velocidade de 1Gbps.

Contamos ainda com uma política de licenciamento de software através de programas educacionais e parcerias com empresas como IBM (IBM Rational), Microsoft (MSDN Academic Alliance), CorelDraw, Adobe (Flash, Dreamweaver, InDesign, Photoshop, Director),  além de softwares específicos como Vue, Cinema 4D, SPSS, SolidWorks, entre outros.

Avaliação do aluno 

O sistema de avaliação de ensino/aprendizagem dos alunos do Curso Sistemas de Informação da PUC-SP deve seguir a regra estipulada para todas as disciplinas do curso, exceto aquelas que utilizam outros recursos para avaliação, como trabalhos extraclasse, relatórios e outros trabalhos, que é o caso das disciplinas de Supervisão de Estágio e das disciplinas de Gestão de Projetos (I a VI) e TCC I e II, que utilizam a nota geral do projeto.

A regra para o curso de Sistemas de Informação é:

Média final = (nota do 1º bimestre + nota do 2º bimestre) / 2

A nota de cada bimestre é calculada por:

(a x nota de prova do bimestre + b x nota de atividade do bimestre) / ( a + b )

sendo a,b Є {1,2,3}

As disciplinas atreladas a projetos (marcadas por * na matriz curricular) utilizarão a seguinte fórmula:

Média final = [(nota do 1º bimestre + nota do 2º bimestre) / 2] x 0,7 + 0,3 x nota de projeto)

A nota de cada bimestre é calculada por:

(a x nota de prova do bimestre + b x nota de atividade do bimestre) / ( a + b )

sendo a,b Є {1,2,3}

TCC 

O TCC do Curso Sistemas de Informação será feito em grupo e será orientado em duas disciplinas que tem no seu escopo a apresentação das regras para elaboração de trabalhos acadêmicos, a orientação e coordenação dos esforços dos membros do grupo, e a busca de apoio nos outros professores do curso, além do orientador, para a solução dos problemas do trabalho.

As duas disciplinas serão ministradas em 2 períodos letivos com os objetivos de Qualificação (TCC I) e Defesa Final (TCC II) respectivamente. 

Objetivos

O Trabalho de Conclusão de Curso tem como principal objetivo o desenvolvimento de um projeto e de sua implementação relacionado com a área de Sistema de Informação.


Objetivos Específicos

  • Possibilitar aos alunos o desenvolvimento de um tema de projeto, no qual os conhecimentos adquiridos no decorrer do curso possam ser aplicados;
  • Desenvolver o espírito de equipe para a solução e desenvolvimento de um projeto;
  • Possibilitar a parceria entre a indústria e a universidade no desenvolvimento de um projeto de interesse comum.

Os trabalhos serão desenvolvidos com a orientação dos professores das disciplinas TCC I e II, com turmas de 25 alunos e grupos de com no mínimo 4(quatro) e máximo 6 (seis) alunos, por meio de reuniões semanais durante o horário da aula de TCC, acompanhando sempre o desenvolvimento do trabalho.

O TCC I terá os seguintes objetivos:

Desenvolver o projeto de um sistema de informação com características corporativas (variedade de áreas, usuários, processos, tecnologias), incluindo sua modelagem (Processos, Casos de Uso, Classes etc.) e utilizando um processo de desenvolvimento de software aceito pela comunidade acadêmica-profissional, além de elaborar um trabalho acadêmico sobre o projeto (Contextualização, referenciais teóricos utilizados, resultados de projeto, referências bibliográficas).

O TCC II terá os seguintes objetivos:

Implementar o projeto elaborado no TCC I e sua documentação (Diagramas de componentes, pacotes, projeto de rede, plano de testes e deployement, código fonte etc.), utilizando design patterns e um processo de desenvolvimento de software aceito pela comunidade acadêmica-profissional.

Atividades de formação 

As atividades complementares são componentes curriculares que tem como objetivo principal enriquecer e expandir o perfil do egresso com atividades que privilegiam aspectos diversos da sua formação, incluindo atividades desenvolvidas fora do ambiente acadêmico. Tais atividades podem ser cumpridas em diversos ambientes, como a instituição a que o estudante está vinculado, outras instituições e variados ambientes sociais, técnico-científicos ou profissionais ([7]).

As atividades complementares do Curso Sistemas de Informação têm como objetivo possibilitar aos alunos a complementação dos temas abordados nas disciplinas, visando o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao exercício profissional.

A coordenação do curso será responsável pela estipulação dos critérios de realização, pela utilização da carga horária e pelas condições de aproveitamento dessas atividades. A coordenação poderá ser auxiliada por uma comissão designada por ela mesma.

Os tipos de atividades e respectivas pontuações estão apresentados na tabela abaixo, sendo que o aluno deverá integralizar, ao longo do curso, o mínimo de 120 horas de Atividades Complementares exigidas:

  • Atividades Científicas

Os alunos de Sistemas de Informação serão estimulados a participar de atividades de Monitoria e a desenvolver projetos de Iniciação Científica.

  • Atividades Sócio-Culturais

Os alunos serão estimulados a participar e organizar de eventos científicos e culturais na área de Computação e Informática, para a comunidade interna e externa.

Farão parte deste grupo de atividades: visitas técnicas com elaboração de relatórios supervisionados pelos professores; participação em palestras, mini-cursos, organizados ou não pela universidade e devidamente documentados.

Os tipos de atividades e respectivas pontuações estão apresentados na tabela abaixo, sendo que o aluno deverá integralizar, ao longo do curso, o mínimo de 200 pontos, equivalentes às 200 horas de Atividades Complementares exigidas:

Atividade  Observações Carga horária máxima
Participação em congressos e eventos 25 horas referente a participações por ano 100
Iniciação científica 60 horas por ano de projeto 120
Monitoria 60 horas por ano de monitoria 120
Participação em oficinas do curso
Exemplos:
• Certificação digital
• Ajax
• Framework .Net
• Computação móvel
• Apache+MySQL+PHP
30 horas referente a participações em oficinas em um mesmo ano. 120
Cursos externos A carga horária especificada no certificado de conclusão do curso será respeitada e o total de carga de todos os cursos externos não poderá ultrapassar o máximo de 60 horas. 60
Certificações de mercado Cada certificação de mercado contribui com 60 horas 120
Publicação de artigos Cada artigo contribui com 30 horas 60
Apresentação de trabalho em congressos Cada trabalho apresentado contribui com 30 horas 60
Outras atividades O aluno pode requerer horas através de outras atividades que achar relevante apresentando um requerimento à coordenação do curso. A coordenação avaliará o caso e indicará a quantidade de horas que a atividade poderá contribuir. Definido pontualmente pela coordenação do curso

 Todas as atividades complementares deverão ser aprovadas pela coordenação antes da integralização da carga horária.
 

Estágio curricular 

O estágio no curso Sistemas de Informação é dividido em 02 partes: Estágio Supervisionado (disciplina Supervisão de Estágio, no 3º semestre, 30 horas) e o Estágio in loco (450 horas), totalizando 480 horas de estágio.

A disciplina de Supervisão de Estágio aborda questões a respeito dos objetivos de um estágio na formação do aluno; dinâmicas de grupo em programas de recursos humanos; técnicas de representação de conhecimento; simulações de situações comuns no ambiente de trabalho entre outras.

O estágio in loco do Curso Sistemas de Informação seguirá o seguinte Regulamento de Estágio do Curso.

Grade Curricular 
Campus Consolação - Marquês de Paranaguá
Selecione o período:
Mensalidades 

A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.
 
O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.

Valor da mensalidade
O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e os valores de cada curso são calculados com base nas atividades pedagógicas previstas.

Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso.

Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.

Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.

Reconhecimento 

Deliberação do Consun nº 09/2016

Duração 

04 anos

Avaliação do curso 

A autoavaliação do Projeto Pedagógico do Curso Sistemas de Informação será orientada no sentido de verificar o atendimento dos objetivos gerais e específicos do curso, visando o aperfeiçoamento do curso. Para tanto, buscará indicadores diversos de modo a considerar a avaliação de alunos e professores sobre o curso, além de outras fontes como os resultados do ENADE, indicadores de reputação no mercado, envio de pedidos de estágio pelas empresas etc.

A avaliação será orientada também pelos trabalhos da Comissão Própria de Avaliação da PUC/SP, denominada CPA-PUC/SP, instituída em atendimento ao disposto no art. 11, inciso I da referida Lei Federal nº 10.861, de 14/04/2004, cujos procedimentos foram regulamentados pela Portaria do MEC nº 2.051, de 09/07/2004. A Universidade, por meio do Ato do Reitor nº 12/2004, de 14/06/2004 e Ato da Reitora nº 03/2016, publicada em 26/01/2016, instituiu a comissão com as atribuições de condução dos processos de avaliação internos da instituição, de sistematização e de prestação das informações solicitadas pelo INEP, nos termos da Lei. No mesmo ato, foram nomeados os componentes da Comissão, com representantes dos três segmentos da comunidade universitária, assim como da Sociedade Civil. As atividades serão desenvolvidas de acordo com as recentes Diretrizes da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) para a AutoAvaliação das Instituições e com as “Orientações Gerais para o Roteiro da AutoAvaliação das Instituições”.

Competência e habilidades 

O profissional de Sistemas de Informação deve ser capaz, na sua ação profissional, de aplicar a tecnologia da informação para resolver problemas organizacionais e de negócios. Assim, é necessário que integre conhecimentos técnicos da área de Ciência da Computação, Matemática e Administração visando o desenvolvimento e a gestão de soluções baseadas em tecnologia da informação para os processos de negócios das organizações ([11]). Além das habilidades de relacionamento, já que boa parte do trabalho é feita em equipe. Segundo SBC ([2], p.24), essas competências podem ser agrupadas em competências de gestão, tecnológicas e humanas:


Competências de gestão

O profissional de Sistemas de Informação deve ser capaz de: ([2], p.24):

  • Compreender a dinâmica empresarial decorrente de mercados mais exigentes e conscientes de seus direitos e das novas necessidades sociais, ambientais e econômicas;
  • Participar do desenvolvimento e implantação de novos modelos de competitividade e produtividade nas organizações;
  • Diagnosticar e mapear, com base científica, problemas e pontos de melhoria nas organizações, propondo alternativas de soluções baseadas em sistemas de informações;
  • Planejar e gerenciar os sistemas de informações de forma a alinhá-los aos objetivos estratégicos de negócio das organizações.


Competências tecnológicas

O profissional de Sistemas de Informação deve ser capaz de ([2], p.24):

  • Modelar, especificar, construir, implantar e validar sistemas de informações;
  • Auxiliar os profissionais das outras áreas a compreenderem a forma com que sistemas de informação podem contribuir para as áreas de negócio;
  • Participar do acompanhamento e monitoramento da implementação da estratégia da organização, identificando as possíveis mudanças que podem surgir pela evolução da tecnologia da informação;
  • Conceber e especificar a arquitetura de tecnologia da informação capaz de suportar os sistemas de informações das organizações;
  • Dominar tecnologias de banco de dados, engenharia de software, sistemas distribuídos, redes de computadores, sistemas operacionais entre outras.


Competências humanas

O profissional de Sistemas de Informação deve ([2], p.25):

  • Ser criativo e inovador na proposição de soluções para os problemas e oportunidades identificados nas organizações;
  • Expressar ideias de forma clara, empregando técnicas de comunicação apropriadas para cada situação;
  • Participar e conduzir processos de negociação para o alcance de objetivos;
  • Criar, liderar e participar de grupos com intuito de alcançar objetivos;
  • Ter uma visão contextualizada da área de Sistemas de Informação em termos políticos, sociais e econômicos;
  • Identificar oportunidades de negócio relacionadas a sistemas de informação e tecnologia da informação e criar e gerenciar empreendimentos para a concretização dessas oportunidades;
  • Atuar socialmente e profissionalmente de forma ética.
Áreas de atuação 

Mantemos parcerias técnicas com CISCO, IBM, Microsoft, Totvs etc., além das oportunidades de estágio e de vagas efetivas oferecidas pelas mais de 20 mil empresas conveniadas com a Universidade.

Isso tudo significa empregabilidade, como funcionário de TI de empresas públicas e privadas, consultor independente, empreendedor (startups), perito digital e executivo de TI (CIO).

 

Vagas turnos e campi 
Histórico 

O processo de atualização/reforma contínua do Projeto Pedagógico do Curso Sistemas de Informação ocorre devido à especificidade da área decorrente de um processo natural que exige rápidas transformações.

As seguintes Deliberações da Reitoria da PUC-SP listadas a seguir, descrevem as reformas ocorridas neste Projeto Pedagógico do curso:

  • Deliberação No. 16/2007 (CONSUN-26/09/2007): aprova a criação do curso de bacharelado em Sistemas de Informação com a carga horária de 3.200 horas.
  • Deliberação No. 56/2010 (CONSUN-31/03/2010): aprova a Proposta de Reforma Curricular do Curso de Bacharelado de Sistemas de Informação da PUC-SP para alunos ingressantes em 2008 e com a carga horária de 3.005 horas.
  • Deliberação No. 57/2010 (CONSUN-31/03/2010): aprova a Proposta de Reforma Curricular do Curso de Bacharelado de Sistemas de Informação da PUC-SP para alunos ingressantes em 2009 e com a carga horária de 3000 horas.
  • Deliberação No. 14/2014 (CONSUN-24/09/2014): aprova a Proposta de Reforma Curricular do Curso de Bacharelado de Sistemas de Informação da PUC-SP para alunos ingressantes em 2015 e com a carga horária de 3000 horas.

O curso passou pela avaliação in loco do MEC/INEP em abril de 2011, atendeu todos os requisitos legais exigidos e recebeu conceito 3.

Em 30/12/2015 foi publicada, no D.O.U., a Renovação do Reconhecimento   - Portaria 1.095.

Nos últimos dois anos o curso foi oferecido no vestibular de verão, contando com grande número de interessados, mas sem as matrículas suficientes para a abertura (foram abaixo do ponto de equilíbrio). Um dos principais motivos indicados em pesquisas feitas pela faculdade é o preço, face à percepção de “commodity” do curso.

Assim, a reforma proposta vai no sentido de melhorar a atratividade do curso, diferenciando-o, por meio do desenvolvimento, em cada semestre do curso, de um projeto com objetivos aderentes às necessidades do mercado – programadores web e de dispositivos móveis, criadores de aplicativos para startups, implantadores de sistemas integrados de gestão, analistas de negócios (BI, Big Data etc.), desenvolvedores de sistemas corporativos, suporte de infraestrutura – resultando na empregabilidade dos alunos.

As disciplinas foram reagrupadas seguindo-se as necessidades desses projetos, mantendo-se, além das necessidades do mercado, a aderência às diretrizes curriculares da área.

Estas alterações não modificam o total de horas do curso (3.000 horas). Também não causarão impacto para alunos com dependências, pois não houve matrículas para o curso em 2015 e 2016.

Objetivos 

Objetivos gerais

O Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação tem por objetivos:

  • Formar profissionais capazes de atuar em planejamento, desenvolvimento e gestão de sistemas de informação. Sistemas e Tecnologias de Informação tornaram-se componentes vitais quando se pretende alcançar o sucesso de empresas e organizações [3]. 
  • Propiciar ao estudante a possibilidade de trabalhar suas vocações, interesses e potenciais, de desenvolver sua capacidade de planejar grande parte do seu percurso de formação e adquirir autonomia, postura crítica e capacidade de resolver problemas no campo profissional dos Sistemas de Informação, considerando a ética como o principal princípio de sua atuação.
  • Propiciar ao estudante, durante sua formação profissional, educação integral, dando lhe condições de desenvolver suas competências e habilidades no campo técnico-científico, acadêmico, institucional e no campo da cultura e cidadania.
  • Propiciar ao estudante a base necessária para o ingresso em programas de pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado).
  • Formar profissionais com competências e habilidades para atender às necessidades do país em áreas de conhecimento das Ciências exatas e da terra, Engenharias e Multidisciplinar.


Objetivos específicos

O curso de Bacharelado em Sistemas de Informação tem como objetivos específicos formar alunos capazes de, com base nos conceitos adquiridos:

  • iniciar, projetar, desenvolver, implementar, validar e gerenciar sistemas de informação, aplicados às áreas administrativas, financeiras, industriais, de projetos e de gestão de pessoas das organizações públicas e privadas
  • Avaliar prazos e custos em projetos de software;
  • Utilizar princípios e ferramentas que aperfeiçoem o processo de desenvolvimento e implementação de um projeto e lhe confiram um alto grau de qualidade;
  • Pesquisar e viabilizar soluções de software para várias áreas de conhecimento e aplicação;
  • Desenvolver trabalhos acadêmicos de acordo com normas e usando a metodologia mais adequada para solução dos problemas;
  • Compreender o mundo, com postura crítica, a partir de uma sólida formação humanística;
  • Comunicar-se corretamente em língua portuguesa, facilitando a aprovação de seus projetos e a comunicação empresarial;
  • Desenvolver planos de negócios para empresas de informática, abrindo novas possibilidades de trabalho.
  • Atuar em grupos e com equipes multidisciplinares.
Grau 
Bacharelado
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Campus Consolação - Marquês de Paranaguá
Modalidade 
Presencial
Coordenação 
  • Coordenador
    Prof. Sérgio Miranda Paz 

  • Vice-Coordenador
    Prof. Maurício Nacib Pontuschka  

Contato 

Rua Marquês de Paranaguá, 111 - Consolação - São Paulo - CEP 01303-050
Tel.: (011) 3124-7212/ 3124-7213/ 3124-5816
E-mail: secexatas@pucsp.br 
 

Monitoria 

A atividade de Monitoria é regida na PUC-SP pela Deliberação do CEPE 02/2014, que diz:

Art. 2º - A monitoria, de natureza essencialmente pedagógica, é importante fator para a formação do estudante e para a sua iniciação à docência.
Art. 9º - Somente poderá exercer a monitoria na PUC-SP, o estudante regularmente matriculado em curso de Graduação, que tenha comprovado rendimento escolar.

Iniciação Científica 

A Iniciação Científica é uma atividade de pesquisa orientada por professores doutores para você vivenciar descobertas de respostas produzidas pela sua própria reflexão crítica, fundamentada por métodos e/ou técnicas de investigação científica. Na PUC-SP, o incentivo a essa prática é um dos fatores capazes de assegurar a excelência acadêmica dos cursos que oferece e por isso ela tem um Programa de Iniciação Científica: PIBIC.

A PUC-SP oferece dois tipos de apoio às bolsas de iniciação científica: o PIBIC-CEPE e o PIBIC-CNPq. O PIBIC-CEPE é o programa da própria PUC-SP e significa Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Conselho de Ensino e Pesquisa. Já o PIBIC-CNPq pertence ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, uma fundação federal vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

Maiores informações acessar o site http://www.pucsp.br/iniciacaocientifica/

Eventos 

Durante todo o ano são realizados diversos eventos na Faculdade de Ciência Exatas e Tecnologia, por exemplo, Encontro de Ciências Exatas e Tecnologia e Virada Tecnológica.

Os alunos são estimulados a participarem uma vez que as atividades proporcionam desenvolvimento acadêmico e complementam o conhecimento obtido em sala de aula.

Situação 
Matrículas encerradas
ID Curso Totvs 
266
ID Filial Totvs 
2
Matriz Curricular 
Última atualização: 23/8/2017

Conecte-se à PUC-SP